A importância da logística reversa

A importância da logística reversa

0
(0)

Em todo desenho de uma cadeia de suprimento, existe um fluxo de retorno de embalagens e produtos, cuja gestão consiste na chamada Logística Reversa. Mas qual a importância desses fluxos? A que se destinam esses materiais que, de alguma forma, retornam por eles?

No caso de embalagens e recipientes, os fluxos da logística reversa são em geral bastante complexos, pois são impactados por um conjunto de restrições das áreas sanitárias, legais e econômicas. Por exemplo, no Brasil, a Lei 12.305/10 estabelece a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), com requisitos específicos para devolução e descarte de materiais sólidos.

Em relação aos produtos, o fluxo inverso se dá, em geral, pela da necessidade de seu descarte em função do final do ciclo de vida do produto. Mas não apenas isso pois também sofrem impactos da legislação, como é o caso do Código do Direito do Consumidor, que estabelece o direito de desistência da compra em até 7 dias após o recebimento do produto, independentemente de qualquer vício do produto, no caso de compras online, por exemplo.

Impacto pelo aumento do e-commerce

Em nosso artigo sobre como as empresas vão atuar após a pandemia do corona vírus, discutimos esse aumento das compras online pelos consumidores. Consequentemente, a logística reversa passou a ser de grande importância para as empresas.

Art. 49. O consumidor pode desistir do contrato, no prazo de 7 dias a contar de sua assinatura ou do ato de recebimento do produto ou serviço, sempre que a contratação de fornecimento de produtos e serviços ocorrer fora do estabelecimento comercial, especialmente por telefone ou a domicílio.

Código de Defesa do Consumidor.

Esse direito foi assegurado pelo fato de o cliente não ter uma “experiência” do produto na compra online, ao contrário da compra em loja física onde essa experiência acontece no momento da compra.

Assim, caso o consumidor exerça esse seu direito, cabe ao fornecedor ressarcir integralmente o valor da compra, bem como todo e qualquer frete referente à operação de retorno do produto.

Em linhas gerais, a tendência mundial tem sido a de que cabe ao fornecedor a responsabilidade pelo produto em todas as fases do seu ciclo de vida.

Principais destinos na logística reversa

Entre os principais destinos das embalagens e produtos, que retornam pelo fluxo reverso, estão a reutilização, a reciclagem e o descarte.

A reutilização visa aplicar ao material uma nova utilização idêntica à original. Por exemplo, é o caso de embalagens, que podem passar por processos de limpeza e desinfecção para serem, então, reutilizadas. Além desse, outros exemplos de embalagens reutilizadas são as garrafas retornáveis na indústria de bebidas, os botijões de GLP (gás de cozinha) que são devolvidos às distribuidoras para, após avaliação e limpeza, serem novamente cheios para consumo e a recarga de cartuchos de impressoras.

A reciclagem consiste na reutilização de materiais que, após passarem por um reprocessamento, são utilizados na produção de um outro produto. Como exemplo podemos citar as garrafas plásticas que hoje são utilizadas em diversas aplicações como, por exemplo, a produção de tecidos, e os óleos lubrificantes, que após reprocessamento, podem ser utilizados como componentes da produção de óleos combustíveis automotivos. Considera-se esse último exemplo como reciclagem, pois o produto precisa passar por um reprocessamento, antes de ser novamente utilizado.

Por fim, o descarte, quando não há possibilidade de reutilização, seja diretamente ou por reciclagem. Por exemplo, alguns produtos químicos precisam de descarte em aterros específicos, para garantir que não haja risco de contaminação ambiental.

Uma resposta ambiental

A necessidade de uma logística reversa está, em muitos casos, associada à questão ambiental, tema de grande importância para todos. Dessa forma, aqueles produtos que apresentam um grande impacto ambiental em seu descarte exigem procedimentos de devolução muito mais seguros e controlados. É o caso de produtos como baterias de celulares, equipamentos eletrônicos em geral, pneus e óleos lubrificantes usados, entre outros.

Para as empresas, os fluxos de retorno não se traduzem em valor agregado às suas cadeias de suprimento. Porém, existe uma grande pressão da sociedade, além das restrições legais já comentadas, que acabam por exigir que tais fluxos ocorram.

A logística reversa é uma resposta ambiental à sociedade
A sociedade exige o compromisso ambiental das empresas.

A adequada gestão desses fluxos permite, no entanto, a entrada das empresas em mercados mais seletivos. Estes dão mais importância às empresas que estão associadas à ideia de uma maior sustentabilidade ambiental através da logística reversa. Assim, as empresas que adotam essa prática podem se utilizar dessa imagem a seu favor. Com isso, podem ampliar sua base de clientes, e com isso, buscar compensar os custos totais de suas operações reversas.


Se você gostou desse assunto saiba que este e muitos outros, relacionados à logística empresarial, são discutidos em nosso curso Logística Integrada na Cadeia de Suprimento. Conheça o programa completo do curso.

Deixe seu comentário e compartilhe esse artigo em suas redes sociais.

REFERÊNCIAS:

Código de Defesa do Consumidor

Como você classifica esse post?

Clique nas estrelas

Média da classificação 0 / 5. Número de votos: 0

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.