Operadores logísticos: por que?

Operadores logísticos: por que?

0
(0)

Considerando a diversidade das operações envolvidas em uma cadeia de suprimentos, é natural entender que para qualquer empresa, esse é um grande desafio. Daí é que surgiram diversas parcerias entre empresas e, como uma consequência, o desenvolvimento de operadores logísticos.

Os operadores logísticos então, vêm como uma resposta a essa necessidade de a empresa manter-se focada naquilo que ela sabe bem fazer. Assim, deixam para esses operadores especialistas as tarefas relacionadas às operações da cadeia de suprimento.

Hoje existe, praticamente, uma unanimidade a respeito dos benefícios que uma adequada parceria pode proporcionar às empresas envolvidas, principalmente em termos do aumento do desempenho e competitividade no geral.

Pires, Silvio R. I. Gestão da cadeia de suprimentos: conceitos, estratégias, práticas e casos – Supply chain management. São Paulo: Atlas, 2004. p. 107.

Pode-se dizer que os operadores logísticos surgem a partir de empresas especializadas em alguma operação. Muitas vezes, através de parcerias ou aquisições, passam a poder oferecer um serviço ampliado, integrado e personalizado. Outras vezes, estes operadores são empresas que adquiriram uma tal experiência em suas próprias atividades, que passaram a oferecer esse serviço a outras empresas.

Independente da forma como o operador logístico se desenvolveu, a grande importância que ele representa para a cadeia de suprimento é o fato de oferecer um serviço integrado e personalizado para a empresa contratante.

Isso contribui para a análise do trade-off entre custos logísticos e nível de serviço ao cliente, já discutido em nosso blog.

O que difere os operadores logísticos dos prestadores de serviço?

Antes de mais nada o que os diferencia é a abrangência do serviço oferecido. Os prestadores de serviço, em geral, são especialistas em um determinado tipo de operação. Já os operadores logísticos, por terem uma especialização maior, oferecem um serviço mais amplo que eles.

Para a empresa contratante, o operador logístico representa uma otimização do custo logístico total, quando em geral, na contratação de um prestador de serviço, a ideia é otimizar o custo associado à operação sob sua responsabilidade. Isso também, vem a trazer diferenças nos tempos de contratação. Os prestadores de serviço têm contratos mais curtos, enquanto que com os operadores logísticos, as empresas tendem a ter um relacionamento mais duradouro.

Em decorrência, a negociação dos contratos com operadores logísticos tende a envolver níveis hierárquicos mais altos da empresa. Há uma série de itens a serem considerados nessa negociação, entre os quais, cláusulas de sigilo, já que os operadores logísticos estarão muito mais diretamente envolvidos com os resultados dos negócios da empresa.

Fatores motivadores

Por que uma empresa opta por contratar um operador logístico? Já dissemos que o principal fator é que isso lhe permite concentrar-se naquilo que ela sabe de fato fazer. Mas existem também outros motivos que podem levar as empresas à essa decisão.

Por exemplo, nos processos de globalização das empresas, muitas vezes elas se deparam com mercados com os quais ela não tem muita habilidade e encontram até mesmo certa dificuldade em penetrar. Nesses casos, um operador logístico pode ser uma opção interessante. Por conhecerem o mercado, podem oferecer à empresa soluções mais rápidas dentro desse processo de atingir novos mercados.

Um segundo motivo que podemos considerar é o aumento do nível de serviço dos mercados. Isso exige um alto grau de comprometimento da empresa com operações com as quais ela nem sempre está acostumada. Mais uma vez, os operadores logísticos, por serem especialistas nas operações de uma cadeia de suprimento, podem contribuir fortemente para o atingimento desse nível de serviço de uma forma mais rápida e com menor custo.

Por fim, podemos também citar que o atendimento a mercados segmentados, com uma quantidade de produtos cada vez maior, também é um fator que impulsiona a contratação de operadores logísticos. Assim, permite-se à empresa concentrar-se no entendimento de seu mercado e no desenvolvimento de produtos que atendam às suas demandas.

Potenciais problemas

Como em qualquer relação comercial, podem ocorrer alguns problemas, para os quais a empresa deve estar atenta ao optar pela contratação de um operador logístico.

Inicialmente ela deve considerar que a contratação do operador não pode retirar da empresa, o controle do acesso às informações chave de seu mercado. Seria um grande risco a empresa perder esse controle.

É necessário também estarem bem estabelecidas as regras relacionadas à gestão dos negócios. Assim, as cláusulas de sigilo e de comprometimento do operador logístico com os resultados da empresa devem ser acompanhadas de perto pelos gestores da contratação.

E, por fim, é importante avaliar a capacidade do operador logístico em atender ao que de fato a empresa necessita. Muitas vezes, apesar de ter experiência, o operador logístico pode encontrar dificuldades em atender a toda a cadeia de suprimento da empresa. Isso certamente trará impactos negativos aos negócios.


Se você gostou desse assunto saiba que este e muitos outros, relacionados à logística empresarial, são discutidos em nosso curso Logística Integrada na Cadeia de Suprimento. Conheça o programa completo do curso.

Deixe seu comentário e compartilhe esse artigo em suas redes sociais.

REFERÊNCIAS:

Pires, Silvio R. I. Gestão da cadeia de suprimentos: conceitos, estratégias, práticas e casos – Supply chain management. São Paulo: Atlas, 2004.

Como você classifica esse post?

Clique nas estrelas

Média da classificação 0 / 5. Número de votos: 0

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.