Armazenagem e transporte: operações logísticas chaves

armazenagem e transporte

Armazenagem e transporte: operações logísticas chaves

5
(1)

As operações de armazenagem e transporte são operações chaves em qualquer cadeia de suprimentos. As atividades envolvidas nessas operações são fundamentais para garantir o nível de serviço adequado aos clientes.

É claro que a fabricação é uma atividade fundamental no desenvolvimento de um produto para o mercado. A escolha da matéria prima, a tecnologia de produção, os cuidados na embalagem são todas atividades importantes. Sem dúvida alguma, merecem uma grande atenção dos fabricantes.

No entanto, duas outras operações têm uma influência muito grande sobre como o produto vai chegar aos clientes: armazenagem e transporte. A atenção dispensada pelas empresas a essas operações é também muito importante, para garantir o atendimento às expectativas dos clientes quanto ao preço, produto, prazo e local de entrega.

Armazenagem

Se fosse possível produzir imediatamente quando há uma demanda, não haveria necessidade de armazenagem. No entanto essa é uma situação improvável, no mundo real. Há uma série de incertezas e flutuações nas demandas, que provocam a necessidade da formação de estoques para garantir o atendimento.

Hoje em dia, o número de produtos existentes no mercado é muito grande e diversificado. Você já percebeu, por exemplo, a quantidade de marcas e tipos de xampus nas prateleiras dos supermercados? Já imaginou que cada um desses produtos tem uma necessidade de armazenagem e transporte que varia de acordo com a sua demanda?

… as operações logísticas têm-se tornado mais complexas (o que tende a gerar mais custos), mais sofisticadas tecnologicamente (implicando maiores e mais frequentes investimentos) e mais importantes sob o ponto de vista estratégico (por permitir maior agregação de valor e maior diferenciação competitiva)…

FLEURY, Paulo Fernando. Vantagens competitivas e estratégias no uso de operadores logísticos. In: Logística empresarial: a perspectiva brasileira / (organização) Paulo Fernando Fleury, Peter Wanke, Kleber Fossati Figueiredo. São Paulo: Atlas, 2000. p. 136.

E estamos apenas analisando um produto. Não é difícil imaginar a complexidade da cadeia de suprimento de todos os produtos que compõem o portfólio de produtos de uma grande rede varejista.

Exatamente porque não se tem uma demanda regular é que os estoques são importantes nas empresas. Através deles, elas conseguem manter o mercado abastecido com os produtos certos, no momento adequado.

Cuidados na armazenagem

No entanto, armazenar não é simplesmente guardar. A armazenagem exige cuidados especiais que variam em função do tipo de produto. Não se armazena o xampu, que comentamos acima, da mesma forma que se armazenam sorvetes ou outros alimentos perecíveis.

A operação de armazenagem precisa ser feita de tal forma que garanta a integridade do produto. E para tal, uma série de cuidados devem ser tomados, como por exemplo, o tipo de ambiente de guarda, a incidência ou não de luz, a temperatura de armazenamento, a quantidade de produtos que podem ser empilhados e muitas outras.

motivos para estoques
Os cuidados na armazenagem são fundamentais para garantir a integridade do produto entregue ao mercado.

Esses cuidados acabam por trazer impactos diretamente aos custos de armazenagem. Além do próprio custo que está associado à quantidade de produto armazenado. Quanto mais produtos armazenados, maiores serão os custos. E esse é um grande dilema vivido por todas as empresas na definição de suas políticas de estoques. Leia mais sobre o assunto em nossa publicação sobre armazenagem e seus custos associados.

Transporte

Os produtos armazenados precisam chegar aos mercados. Essa é uma outra operação importante na cadeia de suprimentos. As dúvidas aqui pairam sobre qual o modal de transporte mais adequado.

A estrutura de distribuição, que varia em função do projeto logístico da cadeia de suprimento, poderá auxiliar na seleção do modal, muitas vezes indicando a intermodalidade. Para se aprofundar, leia nossa publicação sobre multimodalidade e intermodalidade.

Como cada vez mais se busca redução nos custos logísticos e maior confiabilidade no serviço prestado, o uso de mais de um modal no Brasil surge como grande oportunidade para as empresas tornarem-se mais competitivas, visto que o modal rodoviário predomina na matriz de transporte do Brasil, mesmo para produtos/trechos onde não é o mais competitivo.

NAZÁRIO, Paulo. Intermodalidade: importância para a logística e estágio atual no Brasil. In: Logística empresarial: a perspectiva brasileira / (organização) Paulo Fernando Fleury, Peter Wanke, Kleber Fossati Figueiredo. São Paulo: Atlas, 2000. p. 143.

Algumas estruturas são formadas por um armazém central do qual é feita toda a distribuição ao mercado. Em geral, essa estrutura é utilizada em cadeias de suprimentos menores ou mais regionais, pois um grande problema está nos custos do transporte para viagens de longa distância, quando esse armazém central estiver distante do mercado.

modais transporte
Um grande desafio é como integrar os mercados em um país de dimensões tão grandes quanto o Brasil.

Nesse caso, a opção é pela estrutura escalonada onde podem existir outros centros de distribuição espalhados, mais próximos ao mercado, onde é feita a consolidação da entrega do produto. Tanto podem ser utilizados centros de distribuição como instalações intermediárias, como transit points e cross-docking. Qualquer que seja a escolha, o transporte, nesse caso será realizado em etapas.

Se por um lado, esse tipo de estrutura reduz os custos com longas viagens, por outro aumenta os custos dos estoques, pois há uma necessidade maior de estoques de produtos ao longo da cadeia de suprimentos.

Compensação de custos de armazenagem e transporte

Assim é que não se pode analisar separadamente os custos de armazenagem e transporte na cadeia de suprimentos. Pois como vimos, ao tentar reduzir um desses custos, pode-se aumentar o outro. Por isso, as empresas buscam otimizar o custo global de suas cadeias.

O conceito de compensação de custos vem exatamente para tentar explicar esse binômio custos de armazenagem – custos de transporte.

Se por um lado, ter altos estoques garante às empresas que tenham disponíveis os produtos para atendimento aos seus mercados, por outro lado, aumentam seus custos. De fato, a empresa tem um menor custo de venda perdida, mas terá um alto custo de estoque de produto.

Da mesma forma, como vimos antes, a opção por uma distribuição escalonada, com vários centros de distribuição próximos aos mercados, reduz os custos de transporte de longa distância, mas aumenta também o custo de armazenagem.

Não existe, portanto, uma regra definida. Para cada cadeia de suprimento, deve ser analisada qual o ponto que garante o menor custo total, em uma relação custo/benefício entre os custos de armazenagem e transporte.

Custos logísticos totais

Na verdade, fizemos uma análise envolvendo apenas duas operações: armazenagem e transporte. O desenho da cadeia logística de suprimento deve considerar todas as atividades, desde o suprimento de matéria prima até a distribuição ao mercado.

Cada uma dessas etapas tem um papel importante no custo logístico e deve ser considerada para que a empresa possa atingir o resultado ótimo. No conceito de supply chain management (SCM) está explícito que as ações devem ser desenvolvidas, buscando o menor custo total.

E esse é o grande desafio que todas as empresas enfrentam em suas cadeias de suprimentos.


Gostou desse tema? Ele, assim como outros, farão parte de nosso próximo curso online sobre Gestão de Custos Logísticos! Caso você tenha interesse em ser informado sobre a data de lançamento do curso e concorrer a CUPONS GRATUITOS para sua inscrição, inscreva-se aqui.

Deixe seu comentário e compartilhe esse artigo em suas redes sociais.


REFERÊNCIAS:

FLEURY, Paulo Fernando. Vantagens competitivas e estratégias no uso de operadores logísticos. In: Logística empresarial: a perspectiva brasileira / (organização) Paulo Fernando Fleury, Peter Wanke, Kleber Fossati Figueiredo. São Paulo: Atlas, 2000.

NAZÁRIO, Paulo. Intermodalidade: importância para a logística e estágio atual no Brasil. In: Logística empresarial: a perspectiva brasileira / (organização) Paulo Fernando Fleury, Peter Wanke, Kleber Fossati Figueiredo. São Paulo: Atlas, 2000.


Como você classifica esse post?

Clique nas estrelas

Média da classificação 5 / 5. Número de votos: 1

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.