Práticas para redução dos custos de armazenagem

custo estoque produtos

Práticas para redução dos custos de armazenagem

5
(1)

A armazenagem é, sem dúvida, uma das principais operações de uma cadeia de suprimentos. Sobre ela recaem uma série de preocupações das empresas, sendo que a redução dos custos de armazenagem é uma das mais importantes.

Esse assunto é sempre um dos mais buscados, e já tratamos, em nosso blog, alguns aspectos relacionados à armazenagem, nas seguintes publicações:

Nosso objetivo, hoje, é de trazer uma reflexão mais aprofundada sobre práticas que podem ser adotadas pelas empresas, visando a redução dos custos de armazenagem.

As indústrias têm acompanhado a tendência de mercado de ampliar a gama de itens produzidos e aumentar a frequência de entregas. Como resultado dessas transformações, ocorre um aumento do número de pedidos processados e a mudança no perfil desses pedidos. Grandes pedidos estão sendo substituídos por muitos pequenos pedidos com grande variedade de itens.

LIMA, Mauricio Pimenta. Custos de armazenagem na logística reversa. In: FLEURY, Paulo Fernando; WANKE, Peter; FIGUEIREDO, Kleber Fossati. Logística Empresarial: a perspectiva brasileira. São Paulo: Atlas, 2000. p. 261.

A partir dessas transformações, acima citadas, as empresas passaram a estabelecer algumas práticas, visando ajustar os custos da armazenagem às novas formas e exigências do mercado. Algumas dessas práticas são comentadas a seguir.

Definição de uma política de estoques adequada ao mercado

O primeiro ponto considerado, pelas empresas, é o estabelecimento de uma política de estoques que lhe garanta atender ao nível de serviço desejado pelo cliente. No entanto, é fundamental que isso não implique na necessidade de grandes volumes de estoques de segurança, que são geralmente utilizados com o objetivo de impedir a falta de produto.

Para isso, devem ser definidos os níveis mínimos de estoques necessários, o ponto de ressuprimento e o tamanho do lote de ressuprimento, considerando esses custos comparados ao custo da venda perdida. Dessa forma, é possível estabelecer um resultado ótimo, já que esses custos se compensam.

Na decisão sobre qual política de estoques adotar, também deve ser considerado o perfil de necessidades do cliente em relação ao tamanho dos lotes de entrega e à frequência de entrega. Isso porque, muitas vezes, o cliente prefere receber uma maior quantidade de entregas pois, dessa forma, ele reduz suas necessidades de estoques, principalmente nas operações realizadas entre empresas.

Automação das atividades de armazenagem

A automação das atividades contribui para a redução dos custos de armazenagem, na medida em que reduz falhas e erros, otimizando o resultado da operação.

uso de drones na automação da armazengem para redução dos custos de armazenagem
O uso de drones contribui para o controle e contagem de estoques de produtos.

Por exemplo, a automação contribui para redução do tempo total das operações de picking. Pois, dessa forma, reduz o tempo de identificação do produto no estoque bem como automatiza a seleção e movimentação do produto até o ponto de preparo do pedido.

Além disso, reduz a movimentação de pessoas pelo armazém, reduzindo as possibilidades de erros e acidentes.

Por representar um custo, em geral, significativo, é necessário avaliar o grau de automação a ser adotado, comparando-se com os ganhos esperados. Pode-se também adotar diferentes níveis de automação, utilizando-se para armazéns de menor complexidade, uma automação mais simples, que não impacte os investimentos, mas consiga reduzir os custos da operação.

Capacitação das equipes de operação

Essa, na verdade, é uma medida que cabe a todas as operações da cadeia de suprimentos. E naturalmente ela tem um impacto positivo sobre os custos da operação.

É fato que toda equipe bem treinada para suas atividades, trabalha de uma forma mais consciente. Com isso, são reduzidas as falhas e os erros que são os maiores causadores dos custos operacionais.

Além disso, são reduzidos também os acidentes que são os maiores causadores de afastamentos de trabalho, que tantas vezes oneram os custos da operação.

Cuidados com o produto na armazenagem

Alguns fatores podem interferir na integridade do produto durante o armazenamento. Em decorrência, o produto danificado não é vendido e representa um custo adicional para a empresa.

A unitização, se mau realizada, pode trazer sérios problemas à integridade do produto e segurança das operações.

Portanto, atender aos requisitos estabelecidos pela produção para a armazenagem é fundamental para que se possa garantir essa integridade. Deve-se atender às condições de temperatura, umidade, disposição do produto no estoque (empilhamento), luminosidade etc. que garantam a integridade do produto.

Aqui também o treinamento da equipe, citado anteriormente, é importante para garantir a integridade, pois a movimentação inadequada do produto, ou o empilhamento acima daquele considerado adequado, pode comprometer tanto a embalagem como o próprio produto. Dessa forma, a venda fica inviabilizada e aumenta-se os os custos da operação.

Outras ações podem ser desenvolvidas para a redução dos custos de armazenagem

São várias as ações que podem ser implantadas visando a redução dos custos de armazenagem. Aqui apresentamos algumas delas, mas a experiência das empresas irá, certamente, mostrar várias outras que podem contribuir com esse objetivo.

É importante estar consciente da importância dessa operação na gestão da cadeia de suprimento. Muitas vezes podemos ser tentados a concentrar os esforços no desenvolvimento e na produção, esquecendo que antes de chegar ao mercado, o produto necessariamente será estocado. E isso não deverá, em nenhuma hipótese, comprometer a forma como o produto vai chegar até o cliente final.


Gostou desse tema? Ele, assim como outros, farão parte de nosso próximo curso online sobre Gestão de Custos Logísticos! Caso você tenha interesse em ser informado sobre a data de lançamento do curso e concorrer a CUPONS GRATUITOS para participação no curso, inscreva-se aqui.

Deixe seu comentário e compartilhe esse artigo em suas redes sociais.


REFERÊNCIAS:

LIMA, Mauricio Pimenta. Custos de armazenagem na logística reversa. In: FLEURY, Paulo Fernando; WANKE, Peter; FIGUEIREDO, Kleber Fossati. Logística Empresarial: a perspectiva brasileira. São Paulo: Atlas, 2000.

Como você classifica esse post?

Clique nas estrelas

Média da classificação 5 / 5. Número de votos: 1

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.